quinta-feira, 28 de abril de 2016

DENGUE, TODO CUIDADO É POUCO!

video
ATIVIDADE REALIZADA NAS AULAS DE ARTES MINISTRADA PELA PROFESSORA YACIENE COM OS ALUNOS DO 3° ANO A E.M. SOBRE O COMBATE A DENGUE.

PARÓDIA DA MÚSICA"TAPINHA NÃO DÓI" / "PICADA DÓI DÓI"

- ABRIL DE 2016 -

SE LIGA, GALERA DO MELLO !


VAMOS NOS ANIMAR PARA O 2° BIMESTRE QUE SE INICIA! 
QUEM FEZ BONITO NO 1° BIMESTRE PODE MELHORAR
E QUEM NÃO FEZ TÃO BONITO ASSIM VAMOS CORRER ATRÁS DO PREJUÍZO! 


ESTAMOS COM VOCÊS, FORÇA GALERA!!!

COMUNICADO IMPORTANTE

No dia 30/4 (sábado) a partir das 8 horas haverá reunião de pais, com o intuito de comunicar os responsáveis sobre o rendimento escolar e outras informações referentes ao primeiro bimestre letivo de 2016. 
Sua presença é muito importante!!!

Boa sorte 3ªA

A partir de hoje o blog será assumido pelos alunos da 3ª Série A nas aulas de Preparação Acadêmica sob a coordenação do Professor Franklim.
Boa sorte meus queridos!!!!!
Bjus Ju PCG

segunda-feira, 18 de maio de 2015

Biografia do Patrono José de Mello Moraes

Biografia do Patrono  
          O Prof. José de Mello Moraes nasceu em Piracicaba no Estado de São Paulo em 7 de Fevereiro de 1891, filho de Antônio Martins Duarte de Mello e Carolina Corrêa de Moraes, de famílias oriundas de Itu, Capivari e Tietê. Foi casado com Maria Antonieta da S. Dias.
         Estudou no Colégio Americano – Marta Watts, hoje Instituto Educacional Piracicabano, onde fez o curso básico e o secundário. Prestou exames vestibulares na Faculdade de Agronomia Luiz de Queiróz, formando-se em 1909, em um curso em que se identificou muito. Ganhou uma bolsa de estudos para a Universidade de “Hale Salle”. Estudou também na Alemanha, onde foi aluno de um grande mestre em química, Prof. Otswald. Quando lá estava foi deflagrada a Primeira Guerra Mundial, e com auxílio dos maçons, da Holanda, partiu para a Inglaterra e desta para o Brasil.
         Chegando ao Brasil foi lecionar em Leopoldina, Minas Gerais, e ficou em terras mineiras dois anos, e após ingressou como professor na escola Luiz de Queiróz. Em 1920 tornou-se professor de química e depois como Professor Catedrático em Química Agrícola na mesma escola, influenciando o ensino e a pesquisa em serviços comunitários e científicos tanto no Brasil como fora dele. Foi também, por pouco tempo, sócio de João Franco na compra do Jornal de Piracicaba, e foi também colaborador na imprensa de São Paulo e vários outros periódicos importantes.
         Em 1927 foi nomeado pelo Presidente do Estado de São Paulo Júlio Prestes Diretor da Faculdade de Agronomia Luiz de Queiróz. Foi convidado pelo Ministro da Agricultura Dr. Fernando Costa para ser colaborador do ministério, quando criou o Centro de Pesquisas e Ensino Agronômico. Quando Fernando Costa foi governador o levou para ser Secretário de Estado da Agricultura. Foi nessa época que os pecuaristas de Bauru criaram o recinto de exposição e deram o nome de Prof. José de Mello Moraes, que traz até hoje. Em 1951 a Universidade de São Paulo, quando a Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiróz já compunha um de seus campus, recebeu o título de Dr.  Honoris Causa. Foi também reitor da primeira universidade pública de São Paulo (USP). 
         Veio a falecer em Piracicaba no ano de 1956, quando ainda estava em plena atividade. Sempre com seu cachimbo inseparável, relacionava-se com seus alunos e assistentes incentivando-os.
         Entre os títulos que ostentava, o que mais gostava era o de professor. Leva seu nome a antiga Tuiuti de fronte a ESALQ, por decisão da então Câmara de Vereadores por unanimidade.
         A construção do prédio atual é de 17/8/1972, conforme registro na planta/projeto. Sua arquitetura é imponente, formado por dois blocos de dois andares cada, unidos por uma passarela. No piso inferior, tem as instalações administrativas como Diretoria, Secretaria de alunos e docente, uma sala – auditório com cento e vinte lugares, TV de vinte e nove polegadas, sistema de som e vídeo, copa e sanitários administrativos, sanitários dos alunos, sendo, um feminino e outro masculino, sala de educação física, biblioteca e duas salas de aula. No piso superior é composto por dezessete salas de aula, um laboratório, sala de coordenação pedagógica, sanitários de alunos, sendo, dois femininos e dois masculinos, laboratório de informática e laboratório de ciências da natureza. Na parte frontal do prédio estão duas quadras, sendo uma coberta, separadas pela passarela de entrada dos alunos.
         A Unidade Escolar conta com recursos administrativos e pedagógicos importantes para o desenvolvimento das práticas educativas.



Histórico da Escola Professor José de Mello Moraes

1.           Histórico da escola Mello Moraes
         Na década de cinquenta (50), do século XX a maioria da população ainda morava na zona rural e existiam poucos professores para atuarem nas séries do antigo grupo escolar ou em escolas isoladas que funcionavam fora do perímetro urbano. Em vista disso foi criada em Piracicaba a Escola Normal Rural, precariamente instalada em um prédio da Rua D Pedro II, em esquina com a Rua Alferes José Caetano, e tinha por objetivo formar professores normalistas para atuarem na zona rural.
         Depois a escola transferiu-se para a Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiróz, que oferecia maior possibilidade  de estudo sobre agricultura e pecuária, para que os professorandos tivessem alguma orientação para trabalhar nas escolas rurais. Aprendia-se a plantar hortas, tratar dos animais e outras atividades inerentes à vida do campo.
         Existia na Avenida São João um prédio antigo que já servia como isolamento para os doentes de varíola e que em meados dos anos cinqüenta abrigava o Tiro DE Guerra em uma parte, e na outra funcionava a Escola Mista Municipal do Horto Florestal. No fim dessa década ou início dos anos 60 foi criada nesse antigo prédio a escola Benedito Ferreira da Costa, que possuía as quatro séries iniciais. Como o espaço era precário foi construído o atual prédio do famoso BEFECÓ na Rua Cristiano Cleopath.
         Com a mudança da Lei Nacional de Diretrizes e Base da Educação Nacional, em 1971 e com o êxodo da população rural, e como o prédio da Avenida São João estava desocupado a Escola que já recebera o nome de Escola Estadual prof. José de Mello Moraes, em homenagem a um ex-diretor da ESALQ, mudou-se para ele, mas não comportava a escola. Para a construção do novo prédio o “Mello Moraes” funcionou à noite no prédio da escola Jaçanã Altair Guerrini.
         Com o novo prédio instalou-se definitivamente no atual endereço com o Curso Técnico de Formação de Professor Primário. Com a instituição do Ensino Fundamental em 8 anos a escola começou a funcionar com todas as séries, desde a 1ª série dele até a 3ª série do Curso Normal e Curso Colegial. Alguns anos depois foi instalado nele o curso Técnico em Contabilidade, único do Estado que funcionava na região.
         No ano de 2007 entrou em  funcionamento o Projeto Escola de Tempo Integral (ETI) para as séries do Ensino Fundamental Ciclo II, com aulas regulares e Oficinas Curriculares, ampliando o tempo de estudo e as oportunidades de aprendizagem para os alunos. O Ensino Médio continuou funcionando em horário regular nos turnos da manhã e da noite.

         A partir 2014 foi implantado na Unidade Escolar o Programa Ensino Integral (PEI), com professores em regime de Dedicação Plena e Integral e abrangendo o Ensino Fundamental Anos Finais com 8 horas aula diárias divididas em Aulas Regulares da Base Nacional Comum, Aulas da Parte Diversificada e Atividades Complementares. Passou a abranger também o Ensino Médio, contando 9 horas aula diárias no mesmo formato que o Ensino Fundamental: Base Nacional Comum, Parte Diversificada e Atividades Complementares.
Semana de Provas:

25/05 a 29/05